EDP Vilar de Mouros 2019: The Offspring são a mais recente confirmação

O festival mais antigo da Península Ibérica promete mais uma grande edição! Prophets of Rage, Skunk Anansie, Fischer-Z e Linda Martini são algumas das bandas confirmadas.
partilhar

Manic Street Preachers, Killing Joke, Anna Calvi

The Offspring, Sisters of Mercy, Skunk Anansie

Prophets of Rage, Gang of Four, Gogol Bordello

e muitos outros!

22, 23 e 24 de Agosto

Os passes para os 3 dias de festival já estão à venda!

 

A organização do EDP Vilar de Mouros confirmou os Sisters of Mercy e os Gang of Four na edição 2019 do festival. Prophets of Rage, Skunk Anansie, Fischer-Z e Linda Martini são outras das bandas a subir ao palco do festival mais antigo da Península Ibérica, que se realiza nos dias 22, 23 e 24 de agosto na emblemática aldeia de Vilar de Mouros. 

No cartaz do EDP Vilar de Mouros 2019 destaque para a estreia absoluta em Portugal de Prophets of Rage, o projeto que une membros de bandas emblemáticas e seminais do Rock e do Hip-Hop, nomeadamente os Rage Against the Machine, AudioSlave, Cypress Hill e Public Enemy. 

Regressam aos palcos portugueses os britânicos Skunk Anansie, com a inconfundível voz de Skin, e o new wave dos Fischer-Z, que além dos clássicos vêm reforçar os temas mais recentes de "Building Bridges", lançado no início de 2017. Quanto aos Linda Martini, o público pediu, a organização ouviu e a banda portuguesa vai mesmo estar presente na próxima edição.


Agenda de concertos:

22 de agosto: 
Manic Street Preachers
Killing Joke
Anna Calvi
The Wedding Present

23 de agosto:
The Offspring
Sisters of Mercy
Skunk Anansie
Nitzer Ebb
The House of Love
Clan of Xymox

24 de agosto:
Prophets of Rage
Gang of Four
Gogol Bordello
Fischer-Z
Linda Martini 


A última edição do festival recebeu mais de 30 000 espectadores e contou com nomes como Peter Murphy 40 years of Bauhaus celebration feat David J, James, Incubus, Editors, dEUS, entre outros nomes nacionais e internacionais que criaram um ambiente único em Vilar de Mouros. Relembre como foi:

 

 

Mais informações sobre o Festival em http://edpvilardemouros.com. Bilhetes já à venda (clique aqui).

 

Bandas Confirmadas:

The Offspring

Entre 1994 e inícios de 2000, os Offspring eram um dos nomes mais mediáticos da música mundial, acumulando milhões de vendas e aparecendo em dezenas de bandas sonoras de filmes e jogos. A cultura popular agarrou o seu punk rock com unhas e dentes e impregnou-o no ADN de uma geração que não se esquecerá de canções como "The Kids Aren't Alright", "Pretty Fly (For A White Guy)", "Why Don't you Get a Job, "Original Prankster", "You're Gonna Go Far Kid" e "Self Esteem". 

Sisters of Mercy

Não há muitas bandas como os Sisters of Mercy. Editaram três celebrados álbuns entre 1985 e 1990 – "First and Last and Always", "Flodland" e "Vision Thing" – levaram temas como "This Corrosion" ou "Temple of Love" aos lugares cimeiros das tabelas de vendas internacionais, mas, numa clara atitude de desafio às normas e às pressões da sua editora, desistiram de lançar novos discos, mantendo-se, no entanto, como uma banda de estrada, comandada pelo carismático Andrew Eldritch.

Gang of Four

Os Gang Of Four foram uma das mais interessantes bandas do período pós-punk e da new wave. O grupo originalmente liderado por Andy Gill e Jon King lançou, entre 1979 e 1983 quatro álbuns que são encarados como verdadeiros clássicos, na atualidade: "Entertainment", "Solid Gold", "Songs of the Free" e "Hard" marcaram a primeira fase da banda e ajudaram a compreender o som que veio do punk e que abraçou outras sonoridades, do dub ao funk, revelando-se uma mescla que continua a inspirar músicos e bandas até aos dias de hoje.

Prophets of Rage

Quando se juntam na mesma banda membros dos Rage Against the Machine, Public Enemy e Cypress Hill, o resultado só pode ser um dos supergrupos mais explosivos de sempre. Formados em 2016, os Prophets of Rage lançaram no ano seguinte o disco de estreia, homónimo, que foi alvo de elogios da imprensa especializada pelo seu tom furioso e revolucionário. Este ano fazem a sua estreia ao vivo em Portugal, num concerto único no EDP Vilar de Mouros.

Skunk Anansie

O público português é conhecido por ter relações umbilicais com algumas bandas e os Skunk Anansie são um dos casos mais claros. Liderados pela enigmática Skin, a banda rock britânica é reconhecida pela energia que coloca em cada concerto, levando o público ao delírio com temas como "Hedonism", "You’ll Follow Me Down" ou "Because of You", entre muitos outros. Regressam ao EDP Vilar de Mouros depois de um concerto em 2000 que ficou na história do festival.

Fischer-Z

Decorria o ano de 1980, quando os Fischer-Z lançaram "So Long" e a vida da banda rock/new wave britânica nunca mais foi a mesma. Longe do epíteto de one hit wonder, como provam os grandes sucessos "Marliese", “Berlin” e "The Perfect Day", os Fischer-Z são amplamente reconhecidos e elogiados pelas letras que John Watts escreveu com base na sua experiência de psicologia clínica.

Linda Martini

Quando o álbum de estreia é considerado pelos leitores da Blitz como o "Disco Nacional do Ano" é fácil de antever uma carreira de sucesso. Os Linda Martini fizeram isso e muito mais. Nascidos em 2003, são responsáveis por alguns dos temas de maior inspiração e transpiração do rock nacional, capazes de nos arrancar do sofá em picos de euforia. Ao EDP Vilar de Mouros trazem o mais recente disco de originais, homónimo, que os levou numa digressão esgotada por todo o país.

Anna Calvi 

A artista é um dos ícones femininos do rock alternativo britânico desta década, reforçado pela ambiência cabaret e, mais recentmente, por uma panóplia de sintetizadores. Inspirada no canto lírico, a que se aproxima, a artista inglesa é também uma guitarrista sobredotada.

Wedding Present 

A banda têm como timoneiro o vocalista David Gedge, o único fundador ainda presente na atual formação. A banda de Leeds teve algum impacto na música indie dos anos 80 e 90. Quem também granjeou de estatuto de culto ao longo dos anos 80 e 90 foram os holandeses. 

Clan of Xymox

São mais ligados ao imaginário gótico e ao esoterismo, e já atentos à eletrónica. A banda chegou a fazer parte do catálogo da conceituada editora 4AD nos anos 80.

Gogol Bordello

Os folk-rockers mais extrovertidos são conhecidos pela energia em palco de Eugene Hütz. A cultura cigana do leste europeu é uma forte influência desta banda, que é definida como de gypsy punk.  

Pelo segundo ano consecutivo, o EDP Vilar de Mouros conquista o selo Escolha do Consumidor, na categoria de Festivais de música não urbanos, distinção que demonstra o empenho e qualidade do festival em trazer aos seus visitantes o melhor da música e cultura nacional e internacional. Este prémio deve-se também à escolha seleta do cartaz do EDP Vilar de Mouros, ao ambiente familiar do festival, à relação qualidade/preço, à segurança no festival – que tem decorrido sem incidentes - e às condições sanitárias apreciadas por todos os visitantes.

Manic Street Preachers

Passados nove anos desde o último concerto em Portugal, os Manic Street Preachers estão de regresso a solo nacional para apresentarem o seu mais recente álbum "Resistance is Futile" lançado em 2018.

Killing Joke

20 anos depois, os históricos e seminais Killing Joke regressam a Portugal para atuar na edição de 2019 do Festival, sendo um dos grandes destaques do cartaz do EDP Vilar de Mouros. Formada em 1978, a banda inglesa é uma das referências do pós-punk e do rock industrial.

Nitzer Ebb

Formados em 1982, os Nitzer Ebb editam em 1987 o seu álbum de estreia "That Total Age". Nesta segunda visita a Portugal, a banda britânica partilha e celebra um percurso com mais de trinta anos.

House of Love

A banda liderada por Guy Chadwick foi uma das mais brilhantes que saiu na segunda metade dos anos 80, da excelente fornada que a editora Creation ofereceu ao mundo e que tanto marcou a paisagem indie de guitarras dos anos seguintes. O grupo de temas eternos como "Christine" ou "Shine On" apresentou-se no Coliseu dos Recreios em 1989, num concerto que ficou na memória de todos os que a ele assistiram, passando um par de anos mais tarde para um segundo concerto no nosso país, realizado em Aveiro.

Recomendamos