NATO: Ataques reduzirão possibilidade de novos ataques químicos na Síria

Washington, Paris e Londres realizaram na madrugada de sábado três ataques.
EPA

O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, disse hoje que os ataques de sábado dos Estados Unidos, Reino Unido e França contra alvos na Síria reduzirão a capacidade do Governo de Bashar al-Assad de realizar novos ataques químicos.

Numa entrevista à televisão turca NTV, Stoltenberg afirmou também que o ataque conjunto foi uma “mensagem clara” para Assad, a Rússia e o Irão (seus aliados) de que a utilização de armas químicas não é aceitável e que os aliados não ficarão de “braços cruzados”.

Washington, Paris e Londres realizaram na madrugada de sábado três ataques, com uma centena de mísseis, contra alvos associados à produção de armamento químico na Síria, em resposta a um alegado ataque com armas químicas na cidade de Douma, Ghouta Oriental, por parte do Governo de Bashar al-Assad.

O responsável da Aliança Atlântica, que está na Turquia para contactos, entre outros com o Presidente Recep Tayyip Erdogan, saudou o “apoio que a Turquia deu à operação”.

De acordo com os comunicados oficiais, a visita de Stoltenberg insere-se nos preparativos para a cimeira da NATO em Bruxelas, em julho.

Mais Notícias