Carlos Carvalhal e um Mundial "positivo com vitória nos detalhes"

O treinador de futebol não arrisca um vencedor mas tirou notas positivas das seleções que foram mais longe na competição.
15 jul 2018
Redação
Mundial

Croácia e França decidem, a partir das 16h00, o título mundial de futebol, numa final inédita e, de certa forma, inesperada!

Têm sido tantas as surpresas ao longo da competição, que o treinador Carlos Carvalhal não quer arriscar prognósticos sobre o vencedor desta tarde. O técnico, que passou os últimos anos fora de Portugal, prefere olhar para o futebol positivo das quatro seleções que chegaram mais longe na prova.

 

 

O Mundial da Rússia foi dominado, mais uma vez, pelas seleções europeias. As quatro que chegaram às meias finais eram do Velho Continente e, das oito nos quartos de final, só duas (Uruguai e Brasil) não pertenciam à Europa.

A leitura destes dados é simples para Carlos Carvalhal: "o futebol é, também, o reflexo da sociedade global".

 

 

 

Portugal caiu perante o Uruguai, nos oitavos de final. Para o treinador de 52 anos, não há uma grande diferença entre as duas seleções finalistas e a equipa portuguesa. A diferença, em competições como estas, muitas vezes, pode estar num ou noutro pormenor.

 

 

 

A inédita final do Mundial está marcada para as 15h00, em Moscovo. 

O treinador, que na última época esteve no Swansea, vai ser um dos muitos milhões de espetadores. Condição que manterá nos próximos meses em relação ao futebol, uma vez que vai, por opção, começar a época sem treinar. Será uma questão de tempo até voltar ao banco, acrescentamos nós...