Ontem a Bastilha, hoje o mundo: França é campeã

"Les bleus" venceram a Croácia por 4-2 e sagraram-se campeões do mundo.
15 jul 2018
Gonçalo Teles
Mundial
EPA/YURI KOCHETKOV

Fim-de-semana em cheio para os franceses: ontem celebraram a tomada da Bastilha, hoje celebram a tomada do mundo futebolístico.

A França é campeã do mundo, após bater a Croácia por 4-2, numa final muito animada.

Os croatas entraram melhor no jogo, mas foram os franceses a adiantar-se no marcador, através de... Mandzukic. Livre marcado por Griezmann e o croata, com algum azar, acabou por marcar um auto-golo.

Passaram-se dez minutos e os croatas quiseram mostrar que estavam em Moscovo para discutir a final. Perisic rematou à entrada da área depois de um livre (talvez) estudado e igualou a partida.

A partir daqui, o jogo voltou a equilibrar-se até que, após um canto para os franceses, a bola foi ter com a mão de Perisic (ou a mão de Perisic foi ter com a bola, a velha questão), o árbitro Néstor Quintana consultou o VAR e condenou os croatas à pena máxima: penalti para França, golo de Griezmann.

O jogo foi para o intervalo com os gauleses a vencer por 2-1.

A segunda parte foi diferente, com os franceses a tentar controlar o jogo e a entregarem grande parte da iniciativa de jogo à Croácia. E resultou.

Aos 59', Pogba rematou à entrada da área, de pé esquerdo, e praticamente sentenciou o jogo para os franceses. A Croácia ressentiu-se e seis minutos depois, era a vez da jovem estrela deste Mundial deixar o seu nome na história: Mbappé fez o 4-1 e em Paris as certezas dos franceses de que seriam campeões alcançaram a dimensão da Torre Eiffel.

E se as certezas cresceram, Lloris talvez tenha deixado as suas tomarem conta dele: aos 69, e com todo o tempo do mundo, o guarda-redes francês preferiu esperar, com a bola nos pés, por Mandzukic. Correu mal. Mandzukic dá, Mandzukic tira: é o primeiro jogador a marcar um golo e um autogolo numa final de um Mundial.

O resto é história. Ils sont champions.