Acidente helicóptero: CDOS do Porto garante que não existiu "conflito entre bombeiros"

Comandante Marco Martins assegura que "funcionou perfeitamente a articulação entre os vários níveis da Proteção Civil."
16 dez 2018
Agência Lusa
Atualidade
LUSA

Marco Martins, da Proteção Civil distrital do Porto, assegurou hoje que, no socorro ao helicóptero do INEM que caiu no sábado em Valongo, "não existiu" conflito entre bombeiros, tendo "funcionado perfeitamente a articulação" entre os vários níveis da Proteção Civil.

"Não existiu qualquer conflito entre bombeiros. Funcionou perfeitamente a articulação entre os vários níveis da Proteção Civil", garantiu à Lusa Marco Martins, presidente da Comissão Distrital do Porto da Proteção Civil.

O ministro da Administração Interna determinou à Proteção Civil a abertura de um "inquérito técnico urgente" ao funcionamento dos mecanismos de reporte da ocorrência e de lançamento de alertas relativamente ao acidente com o helicóptero do INEM, que caiu no sábado ao fim da tarde em Valongo, causando a morte aos quatro ocupantes.

A Proteção Civil distrital revelou hoje que o Comando de Operações de Socorro (CDOS) do Porto foi alertado para a queda do helicóptero do INEM pelo Comando Nacional e que este foi avisado às 20h09 pela Força Aérea.

Em declarações à Lusa, Marco Martins, presidente da Comissão Distrital do Porto da Proteção Civil, disse ser "falsa" a informação dada pela NAV de que o CDOS do Porto apenas "atendeu" uma chamada sobre o acidente quando a mesma foi "reencaminhada pelo CDOS de Coimbra".

"A chamada chegou ao CDOS do Porto pelo CNOS [Comando Nacional de Operações de Socorro], às 20:15, tendo de imediato sido acionados os bombeiros de Valongo. O alerta chegou ao CNOS às 20h09, pelo departamento de monitorização de radares da Força Aérea. Quanto que diz a NAV, é estranho, até porque há uma linha direta da torre de controlo do Aeroporto do Porto para o CDOS do Porto e a mesma não foi acionada", afirmou.
 

Mais Notícias