Atualidade

Pedrógão Grande: Como ajudar os bombeiros e as vítimas

Multiplicam-se as iniciativas de ajuda a quem combate as chamas e a quem foi vítima da tragédia em Pedrogão Grande.

18 de junho de 2017 às 14:09 por Redação
LUSA

Nas alturas complicadas, os portugueses são sempre solidários. Por isso mesmo, desde a primeira hora que muitas pessoas se questionam sobre a forma de poder ajudar os bombeiros que combatem as chamas nos diversos incêndios que lavram no país. 

No caso específico do incêndio em Pedrógão Grande, o presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, Jaime Marta Soares, diz que há necessidade de águas (33cl), fruta e barras energéticas: "nomeadamente fruta fácil de descascar como bananas e laranjas".

Quem quiser ajudar e esteja na zona, deve deixar os produtos alimentícios ou mantimentos na zona industrial de Pedrógão Grande, que fica à entrada da localidade. Há uma zona de que está a receber o material e depois "fará a distribuição pelas frentes do incêndio", explica Jaime Marta Soares.

 

 

De acordo com o presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, a ajuda está a ser coordenada na região. Ao longo do dia, pessoas que vivem perto do local do incêndio, foram também pedindo para entregarem fruta e água nos quartéis de Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera. Há no entanto um aviso importante, não arrisque a vida! 

O secretário de Estado da Administração Interna fez já o apelo às pessoas para que não se desloquem para as áreas de fogo para não colocarem mais vidas em risco.

A Câmara Municipal de Lisboa deixou já informação de onde podem ser entregues donativos

 

 

Há vários locais a organizar recolha de donativos. É o caso do Colégio São João de Brito, em Lisboa.

 


Também a sede da Junta de Freguesia do Lumiar (Lisboa), na Alameda das Linhas de Torres, 156, é ponto de entrega de bens para apoio ao combate os incêndios e aos desalojados. Face à dificuldade em armazenar bens alimentares devido à grande adesão de donativos, a autarquia apela ao envio privilegiado de:

- Água (com e sem gás), de preferência em garrafas pequenas
- Soro fisiológico 
- Água oxigenada
 - Compressas
 - Ligaduras
 - Pomadas para queimaduras 
- Bens alimentares não perecíveis e com prazos de conservação com alguma duração 
- Vestuário para diversas faixas etárias
- Lençóis e cobertores de Verão
 - Atoalhados 

 

Em todo o país há várias coorporações a organizar campanhas de ajuda. É o caso dos bombeiros de Oeiras, em Lisboa, que vão para Pedrogão Grande, render os soldados da paz que estão no combate às chamas, e estão disponiveis para levar os contributos de quem quiser ajudar, tanto para os bombeiros (águas pequenas, sumos, barras de cereais, bolachas e enlatados) como para as vítimas do incêndio (roupa, produtos de higiene, etc...).

A Caixa Geral de Depósitos já abriu uma conta de solidariedade para a qual a entidade bancária contribuiu já com 50 000 euros. Se quiser contribuir estes são os dados da conta:

CONTA SOLIDÁRIA CAIXA
IBAN: PT50 0035 0001 00100000 330 42

A Fundação Calouste Gulbenkian decidiu constituir um fundo especial de 500 mil euros, para apoio às organizações da sociedade civil da região de Pedrógão Grande.

Também de Fátima já chega ajuda. O Santuário de Fátima vai disponibilizar ajuda material às populações assim que seja possível.

“Acompanhamos as vítimas, os desalojados, os feridos e os que perderam algum ente querido com a nossa oração, mas também materialmente iremos disponibilizar ajuda monetária” afirma o Reitor do Santuário de Fátima.

 A Associação Mutualista Montepio e a Fundação Montepio anunciaram o donativo no valor de 150 mil euros, destinado a apoiar as famílias atingidas por esta calamidade.

Também figuras públicas estão  solidárias com as vítimas do incêndio. O treinador André Villas Boas prometeu 10€ por cada like num post nas redes sociais sobre a tragédia. O resultado foi este:

 

 


Mais Noticias