Atualidade

Incêndios: Costa admite consequências políticas "se for caso disso"

Primeiro-ministro recebeu hoje o relatório de uma comissão independente sobre a o combate aos incêndios de junho em Pedrógão Grande.

12 de outubro de 2017 às 17:27 por Redação
LUSA

O primeiro-ministro garante que assume as responsabilidades e as recomendações incluídas no relatório da comissão independente hoje divulgado.

Em conferência de imprensa, no Palácio de São Bento, António Costa admitiu que ainda não teve tempo para analisar as mais de 200 páginas do documento. Garantiu, no entanto, que as recomendações dos especialistas vão ser acauteladas, inclusivé as responsabilidades políticas, "se for caso disso". 

"Pela parte do Governo, por respeito pela Assembleia da República, por respeito pelos profissionais que elaboraram este relatório, mas, sobretudo, por respeito pelas vítimas e seus familiares, o que nos compete é fazer uma reflexão serena sobre a informação disponível e as recomendações apresentadas. As responsabilidades são aquelas que resultam do relatório e assumi-las-emos totalmente", acrescentou. 

O relatório vai ser debatido no Conselho de Ministros extraordinário já marcado para 21 de outubro. Depois dessa reunião, o Governo deverá anunciar eventuais medidas baseadas na análise dos especialistas. 

"As recomendações serão analisadas, mas, à partida, são o nosso programa para completar a reforma da floresta e para as reformas de prevenção e combate aos incêndios florestais. As decisões do Governo, naturalmente, não antecipam, nem limitam o debate que se fará na Assembleia da República", explicou Costa. 

Antes da reunião de Conselho de Ministros dedicada ao tema dos incêndios, o primeiro-ministro vai reunir-se com a associação que representa os familiares das vítimas dos incêndios de Pedrógão Grande. 
 


Mais Noticias