André Sousa: receber uma condecoração "é uma responsabilidade"

O guarda-redes da seleção nacional de futsal, campeão europeu, fala da importância de ser condecorado e tece vários elogios ao selecionador.
12 fev 2018
Redação
Atualidade
EPA

O guarda-redes da seleção nacional de futsal, André Sousa, que venceu o Campeonato Europeu 2018, na Eslovénia, passou pela nossa redação e deixou-nos algumas palavras.

No dia a seguir à chegada a Lisboa, depois de ser recebido por Marcelo Rebelo de Sousa, em Belém e de depositar a taça na Cidade do Futebol, André Sousa confessou-nos que a condecoração com a Ordem de Mérito, por parte do Presidente da República, marcada para 19 de Março, na Gala Quinas de Ouro, é "uma responsabilidade, no fundo é o reconhecimento de um país, é um trabalho realizado, um trabalho difícil que nós conseguimos realizar de um grande sucesso, de um grande triunfo (...) de um trabalho de um grupo fantástico, durante duas semanas e meia trabalhadas de forma árdua".

 

 

O guarda-redes já foi campeão nacional por duas vezes, ao serviço do Sporting Clube de Portugal, mas disse que a diferença entre vencer um campeonato nacional e um campeonato europeu "é grande, são espíritos diferentes. Quando falamos em campeão nacional estamos a falar de um clube (...) aqui é uma seleção, estamos a falar de 11 milhões que estavam a torcer por nós e nós sentimos esse apoio, nós sentimos essa onda positiva a chegar à Eslovénia e no fundo foi isso que nos catapultou para a vitória final, para este triunfo histórico".

 

 

Sobre o selecionador, Jorge Braz, que renovou o contrato até 2020, na passada sexta-feira, o campeão europeu teceu vários elogios dizendo que é "um treinador que dispensa apresentações", amigo e uma pessoa "de bom coração" que "sempre esteve do nosso lado, não só nos bons momentos, mas principalmente nos maus, que são esses os mais difíceis".

 

 

André Sousa confidenciou-nos que o seu primo, mais novo, igualmente jogador de futsal no Sporting, ficou muito contente "e em conversa com ele disse-lhe que com toda a certeza ele irá estar naqueles palcos e irá nos trazer a nós portugueses a alegria que eu consegui trazer também".

Os conselhos que o guarda-redes da seleção nacional de futsal dá ao primo, também servem para todos aqueles que ambicionam uma carreira profissional e passam por "não esquecer a formação pessoal, a formação académica do individuo" que ele fez "questão de não esquecer". 

 

 

André Sousa formou-se na Universidade de Coimbra e jogou na Académica. Aos 28 anos chegou ao Sporting e é lá que, até hoje, faz carreira profissional em futsal.

Mais Notícias