Era uma vez... o Karate Kid e o E.T. contados aos miúdos!

Imagine estes filmes dos anos 80 contados, em livro, aos nossos filhos. Recomendo!
Por: Ana Carreira
partilhar

Há filmes que nos marcam para sempre e se eu lá imaginava de todas as vezes que rebobinei as minhas cassetes VHS que um dia ia contar as histórias desses filmes incríveis ao meu filho nas páginas de um livro...

Tenho muitos filmes de eleição na minha lista, mas estes dois são muito especiais. E sim, fico muito lamechas a contar estas duas histórias incríveis ao Francisco. Acho que os seus pequenos 5 anos ainda não lhe permitem (ainda) ver os filmes, mas folhear as cenas, página a página, é uma delícia. E o que ajudaram nesta quarentena. 

Falo do Karate Kid e do E.T. contados para crianças. Dá para acreditar? 

A história do Daniel-san ou Daniel Larusso  (atenção que eu falo dele assim quando estou a contar a história) que se muda para a Califórnia com a mãe e que conhece o Sr. Miyaggi que lhe vai ensinar tudo o que precisa de saber sobre o karaté e sobre a vida. Estreou em 1984 e foi realizado por John G. Avildsen? e estava na primeira fila das cassetes VHS lá da sala. 

Do E.T. nem falo, tal é a emoção, e embora esteja muito bem adaptado para se tornar quase um conto infantil, já que é uma fábula inesquecível, há qualquer coisa de muito familiar no livro que nos remete para o mundo fantástico e ternurento de Steven Spielberg. E aquela mesa de jantar da família do Elliot, o armário da roupa onde o E.T se mascara, estão lá aqueles pormenores que só os verdadeiros apreciadores dos filmes conhecem... as falas que sabemos de cor, aqueles momentos de que não nos esquecemos nunca. 

Em poucas páginas, dá para se perceber muito bem a essência dos filmes e bem se percebe porque é que estas histórias lendárias atravessam os tempos. Acho que às vezes me entusiasmo demais porque oiço: "Mas faz lá outra vez o crane kick, mamã!" Já não me lembrava do nome do golpe do Daniel aprendido com Mr. Myaggi que lhe dá a vitória no torneio.

Ou "I'll be right here", quando a nave da família do extraterrestre mais fofo do mundo o aguarda enquanto ele abraça para sempre o pequeno Elliott. 

Voltou lá agora, não foi? Leve o seu filho na próxima viagem, não dá para resistir a estes livros! 
 

Recomendamos