Gonçalo Palma
09 junho 2021, 10:09
Partilhar

De que clubes são os músicos estrangeiros

DR
Mick Jagger torce por quem? E o vocalista dos Simply Red? E os Depeche Mode?

Tal como prometido ontem, publicamos hoje uma recolha das preferências clubísticas dos músicos internacionais, um dia depois de o ter feito com as filiações desportivas dos músicos nacionais.
 
Começamos evidentemente pelo Brasil. Entre os quatro grandes do Rio de Janeiro, Tim Maia, Jorge Ben Jor, Gabriel O Pensador, Sandra de Sá, Toni Garrido (ex-Cidade Negra), Marcelo Falcão (vocalista do Rappa), Hebert Vianna e o sambista Dudu Nobre assumiram-se como adeptos do Flamengo. Edu Lobo, Martinho da Vila, Roberto Carlos, Paulinho da Viola, Marcelo Camelo e Erasmo Carlos sempre preferiram de longe o Vasco da Gama, o clube de que eram também aficionados João Gilberto, Jamelão, lenda do samba, Raul Seixas e Gonzaguinha. Chico Buarque, louco por futebol, Gilberto Gil, Milton Nascimento, Ivan Lins, Evandro Mesquita (vocalista dos Blitz) e Nelson Motta sofrem pelo Fluminense, o clube predilecto da 'Garota de Ipanema' Heloisa Pinheiro e do seu compositor, o referencial Tom Jobim. Zeca Pagodinho, Marisa Monte, Adriana Calcanhotto, Nara Leão, Vinícius Cantuária, Chico César, Ed Motta e Leandro inclinam-se muito mais para as cores alvinegras do Botafogo, a equipa que fazia sofrer Vinícius de Moraes.

 

Do Trio de Ferro de São Paulo, são também muitos os músicos que se dividem. Toquinho, Rita Lee e Luciano (da dupla Zeze di Camargo) apoiam o muito popular Corinthians, que tinha o carinho de Elis Regina. Já os humores do cantor Agnaldo Rayol, do vascaíno Roberto Carlos, Mello dos Titãs e do baterista Igor Cavalera (ex-Sepultura) dependem mais dos resultados desportivos do Palmeiras. Nasi e Edgard Scandurra (ex-membros dos Ira!) e Nando Reis (ex-Titãs) são fãs acalorados do São Paulo Futebol Clube.

 

Inglaterra é outro país apaixonado por futebol, para divisão de afectos da comunidade musical. Em Londres, Mick Jagger (dos Rolling Stones), Roger Daltrey (dos Who), os ex-Pink Floyd David Gilmour e Roger Waters, Ray Davies (ex-Kinks), John Lydon (vocalista dos Sex Pistols e dos PIL), Chris Martin (dos Coldplay), Dido e o romancista Nick Hornby (muito ligado à música por causa do romance "Alta Fidelidade") sofrem mais com o Arsenal. David Bowie, não muito dado ao futebol, tinha uma secreta admiração pelos Gunners. O eterno rival Tottenham recolhe as simpatias de Adele, Sting, Phil Collins, Paul Young, Jeff Beck e dos vários membros dos Manic Street Preachers e dos Status Quo - e mesmo Bob Marley, louco por bola, tinha uma pequena perdição pelos Spurs. O número de músicos que gosta do Chelsea é também numeroso: Ed Sheeran, Ellie Goulding, Damon Albarn (líder dos Blur e dos Gorillaz), Dave Gahan e Andy Fletcher dos Depeche Mode, Lloyd Cole, Billy Idol, Nik Kershaw, Gary Numan, Geri Halliwell (das Spice Girls) e Suggs (vocalista dos Madness) tomam partido pelos Blues.

 

Virados para Manchester, alguns dos vocalistas mais conhecidos preferem o vermelho do United, entre eles Simon Le Bon (dos Duran Duran), Mick Hucknall (dos Simply Red), Thom Yorke (dos Radiohead), Bernard Sumner (dos New Order), Ian Brown (dos Stone Roses), Shaun Ryder (ex-Happy Mondays), Richard Ashcroft (ex-Verve) e Tim Burgess (ex-Charlatans). Do outro lado da barricada, muitos são os músicos que preferem o Manchester City, como os manos Gallagher (ex-Oasis), Johnny Marr (ex-guitarrista dos Smiths), Badly Drawn Boy, Mark Burgess (líder dos Chameleons), Bill Duffy (guitarrista dos Cult) e os Doves - tal como os malogrados Ian Curtis (dos Joy Division) e Mark E Smith (dos Fall).

 

Chris de Burgh, Ian McCulloch (vocalista dos Echo & The Bunnymen), Gary Barlow (dos Take That), Elvis Costello, o rapper Slowthai e Mel C (das Spice Girls) sabem cantar muito bem o hino 'You'll Never Walk Alone' a favor do seu Liverpool - o histórico radialista John Peel também era outro adepto dos Reds. Já Shane McGowan (vocalista dos Pogues), Ian Astbury (cantor dos Cult), Lee Mavers (ex-líder dos La's) e Ian Bell (vocalista dos Gomez) são adeptos do vizinho Everton, o clube do coração de John Lennon (apesar do desinteresse dos Beatles pelo futebol). 

Os Kasabian unem-se pelo seu Leicester City. Quem sofre pelo Aston Villa é Ozzy Osbourne, além dos seus companheiros dos Black Sabbath.

Na rivalidade escocesa entre os Rangers e o Celtic, os Travis, os Wet Wet Wet, Amy Macdonald, Midge Ure (dos Visage e dos Ultravox) e os AC/DC preferem os primeiros. Bono (dos U2), Jim Kerr (vocalista dos Simple Minds), Shirley Manson (cantora dos Garbage), Rod Stewart, Susan Boyle, Paolo Nutini, Clare Grogan (vocalista dos Altered Images) e a maioria dos membros dos Primal Scream e dos Belle and Sebastian gostam muito mais dos Católicos.

 

Em Itália, as figuras musicais mais conhecidas têm estado ligadas afectivamente à Juventus. Que o diga o fiel seguidor alvinegro Eros Ramazzotti. O tenor Luciano Pavarotti também o era.

Noutro país latino dado a estas coisas da bola, a Espanha, os dois grandes tenores espanhóis dividiam-se clubisticamente pelos dois gigantes ibéricos: Placido Domingo sorri quando o Real Madrid ganha, José Carreras rejubilava quando era a vez do Barcelona vencer. Julio Iglesias chegou a ser guarda-redes do plantel sénior do Real Madrid e passou a sua paixão madrilista para o seu filho Enrique Iglesias. Para o lado blaugrana passou a cantora Shakira, desde que passou a ter como cônjuge o célebre defesa central catalão Piqué. Mas não foi tão longe como Manu Chao que chegou a dedicar uma música ao seu querido FC Barcelona, o 'Rumba de Barcelona'.

 

Texto inicialmente publicado em 2010 e progressivamente atualizado.