Ouça a M80, faça o download da App.
Agência Lusa
28 abril 2022, 12:29
Partilhar

Guimarães, Porto e Lisboa entre 100 cidades da União Europeia neutras e inteligentes até 2030

Partilhar
Paulo Alexandre Santos
Agência Lusa
28 abril 2022, 12:29
Caberá agora à Comissão Europeia convidar as 100 cidades selecionadas a desenvolver contratos de cidades climáticas, que incluirão um plano global de neutralidade climática em todos os setores, tais como energia, edifícios, gestão de resíduos e transportes, juntamente com planos de investimento conexos.

Guimarães, Porto e Lisboa foram as cidades selecionadas em Portugal para participar na missão da União Europeia (UE) para ecossistemas de inovação e com vista à neutralidade do ponto de vista climático até 2030, foi hoje anunciado.

A informação foi divulgada pela Comissão Europeia, que em comunicado dá conta dos municípios europeus escolhidos para a ?Missão da UE para 100 cidades neutras e inteligentes até 2030, a chamada Missão Cidades?.

?As 100 cidades vêm de todos os 27 Estados-membros, com 12 cidades adicionais vindas de países associados ou com o potencial de serem associadas ao Horizonte Europa, o programa de investigação e inovação da UE?, assinala a instituição.

Em Portugal, as três cidades selecionadas foram então Guimarães, Porto e Lisboa.

Com um orçamento total de 360 milhões de euros de financiamento do Horizonte Europa para o período 2022-23, a iniciativa visa então criar projetos de inovação rumo à neutralidade climática até 2030.

As ações de investigação e inovação irão abranger áreas como a mobilidade limpa, a eficiência energética e o planeamento urbano verde, permitindo ainda a criação de iniciativas conjuntas e a colaboração com outros programas da UE.

Caberá agora à Comissão Europeia convidar as 100 cidades selecionadas a desenvolver contratos de cidades climáticas, que incluirão um plano global de neutralidade climática em todos os setores, tais como energia, edifícios, gestão de resíduos e transportes, juntamente com planos de investimento conexos.

A ideia é que este processo envolva cidadãos, organizações de investigação e o setor privado, com vista ao estabelecimento de compromissos ?claros e visíveis? assumidos pelas cidades nos Contratos das Cidades Climáticas, explica o executivo comunitário.

As áreas urbanas da UE acolhem 75% do total de cidadãos. Globalmente, as áreas urbanas consomem mais de 65% da energia mundial, sendo responsáveis por mais de 70% das emissões de dióxido de carbono.

?Por conseguinte, é importante que as cidades atuem como ecossistemas de experimentação e inovação para ajudar todas as outras na sua transição para se tornarem neutras do ponto de vista climático até 2050?, justifica Bruxelas na informação enviada à imprensa.

Citada pela nota, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, vinca que ?a transição verde está a fazer o seu caminho por toda a Europa neste momento?.

?Mas há sempre uma necessidade de pioneiros, que se fixam objetivos ainda mais elevados, e estas cidades estão a mostrar-nos o caminho para um futuro mais saudável?, adianta.

Para chegar a estas 100 cidades, a Comissão Europeia lançou um convite à manifestação de interesse dirigido às cidades, entre 25 de novembro de 2021 e 31 de janeiro de 2022, ao qual concorreram 377 cidades de todos os Estados-membros da UE, bem como de nove países associados ou potencialmente associados, das quais 362 foram consideradas elegíveis.

As 100 cidades escolhidas representam 12% da população da UE.

Partilhar