70 mil sem eletricidade no centro do país

Balanço dos efeitos do furacão Leslie foi feito ao final da manhã pela EDP.
15 out 2018
Agência Lusa
Atualidade

Cerca de 70 mil consumidores da região Centro continuavam ao fim da manhã de hoje sem energia elétrica devido à passagem da tempestade Leslie, anunciou hoje a EDP Distribuição, que reforçou o número de operacionais no terreno. 

"Neste momento, o número de consumidores sem energia tem vindo a reduzir, situando-se ao final da manhã nos 70 mil, mantendo-se o distrito de Coimbra e a zona do Louriçal, em Pombal (Leiria), como as zonas mais afetadas, havendo uma situação no município da Mealhada (Coimbra) que merece atenção", afirmou a empresa.

A EDP refere ainda que tem cerca de 750 operacionais em atividade, mais 250 do que no domingo à noite, e que "foram instalados 70 geradores de emergência e duas centrais móveis de geração para garantir o fornecimento de energia a consumos prioritários", como lares e escolas.

"Neste contexto, em articulação com a Autoridade Nacional da Proteção Civil, foi solicitado apoio do Exército português para a instalação dos geradores", informou.

Para a empresa, a reposição de energia tem "evoluído positivamente, apesar de não ser com a velocidade desejada", justificando o atraso com os "avultados" danos na rede de distribuição, que exigem trabalhos de "reconstrução".

Segundo a EDP, ainda há uma centena de linhas de Alta e Média Tensão "inoperacionais, com postes danificados, em particular nas localidades abastecidas pelas subestações de Louriçal (Leiria) e Soure", no distrito de Coimbra. 

Afirmando que está "fortemente empenhada e a desenvolver todos os esforços para a normalização do serviço de fornecimento de energia", a EDP Distribuição mantém o estado de emergência para o distrito de Coimbra.

Mais de 100 mil consumidores estavam sem energia elétrica na tarde de domingo.

A passagem do furacão Leslie por Portugal, onde chegou como tempestade tropical, provocou 28 feridos ligeiros e 61 desalojados.

A Proteção Civil mobilizou 8.217 operacionais, que tiverem de responder a 2.495 ocorrências, sobretudo queda de árvores e de estruturas e deslizamento de terras.

O distrito mais afetado pelo Leslie foi o de Coimbra, onde a tempestade, com um "percurso muito errático", se fez sentir com maior intensidade, segundo a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

Na Figueira da Foz, uma rajada de vento atingiu os cerca de 176 quilómetros por hora no sábado à noite, valor mais elevado registado em Portugal, de acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).
 

Mais Notícias