Dez canções inesquecíveis de James Bond

O 25º tema principal da saga de 007 está quase a ser desvendado. 'No Time to Die', de Billie Eilish, vai chegar na forma de balada. A propósito, resgatamos dez canções que brilharam na filmografia do agente secreto mais famoso do mundo.
13 fev 2020
Silvia Mendes
Música



A canção do 25º filme de James Bond ficou nas mãos de Billie Eilish e do músico Finneas - o irmão e cúmplice criativo da cantora norte-americana. A nova canção vai ser mostrada ao mundo mais logo, por volta da meia-noite. O tema chama-se 'No Time To Die', tal como o filme que vai voltar a ter Daniel Craig a vestir a pele do agente 007. Em português, a película chama-se "Sem Tempo Para Morrer". A estreia nos cinemas está marcada para abril.

A propósito do lançamento de 'No Time to Die', recuperamos dez temas icónicos que marcaram a banda sonora da saga. 
 

Live and Let Die - Paul McCartney & The Wings - Vive e Deixa Morrer (1973)

Paul e Linda McCartney uniram as visões criativas na composição do tema que abriu a trama do filme de James Bond de 1973. Para aprimorar o resultado final, o ex-Beatle chamou um dos melhores da praça. O produtor da canção foi o lendário George Martin, homem que produziu uma boa parte do acervo discográfico dos quatro fabulosos. Damos nota dez à ideia de convidar uma orquestra para os arranjos. 'Live and Let Die' mereceu uma série de versões e está entre as melhores. Uma das mais conhecidas é a dos Guns N' Roses que a incluíram no álbum "Use Your Illusion I" (1991). Ainda hoje, a banda de Los Angeles toca o icónico tema ao vivo. Roger Moore era 007 na tela. A realização esteve nas mãos de Guy Hamilton.
 


Skyfall - Adele - Skyfall (2012)


Espantem-se os que ainda não sabiam isto, mas Skyfall foi o primeiro tema da saga James Bond a ser reconhecido com um Óscar para Melhor Canção Original. Os temas principais dos filmes do agente de espionagem, criado pela imaginação de Ian Fleming, estiveram 47 anos sem receber uma estatueta dourada de Hollywood. O reconhecimento da Academia só voltaria a acontecer a Sam Smith com o tema 'The Writing's on the Wall', do filme "Spectre" (2015). Adele foi quem deu a voz, a alma, o drama e a emoção a 'Skyfall'. Paul Epworth assinou a produção do tema. Em 2013, ao receber o Óscar, a cantora britânica confidenciou a todos que escreveu Skyfall em apenas dez minutos. Ena! A realização do filme foi de Sam Mendes. Daniel Craig vestiu a pele (e o charme) de James Bond.
 



GoldenEye - Tina Turner - GoldenEye (1995)

Só o início de 'GoldenEye' faz estremecer as pernas. É muito fácil ficarmos entregues ao ambiente de suspense, logo nos primeiros segundos, e acabarmos completamente envolvidos, já contorcidos, com a sexiness e a provocação que transbordam da voz de Tina Turner, sobretudo quando a abre para "evocar" o nome que dá o título ao filme. Importa referir que foi a canção que fez a abertura para a entrada em cena de novo James Bond.  A "apresentação" do ator irlandês Pierce Brosnan como Bond, James Bond, pedia uma canção à altura. Os homens dos U2 - Bono e Edge - foram os distintos compositores de 'GoldenEye'. Nellee Hooper assinou a produção.
 


Duran Duran - A View to a Kill - Alvo em Movimento (1985)

Se 'GoldenEye' foi o tema que marcou a estreia de Pierce Brosnan como 007, 'A View to a Kill' foi a canção ouvida no último filme com Roger Moore a interpretar o agente secreto. Estávamos em 1985. Os Duran Duran, na altura a saborear as alegrias da popularidade na pop, foram os responsáveis pelo êxito do single que não só trepou os tops com franco desembaraço, como ainda esteve nomeado para um Globo de Ouro. Talvez até seja mito, mas conta-se que o convite ao coletivo britânico surgiu depois de um dos elementos da banda ter abordado o produtor do filme, Albert R. ("Cubby") Broccoli, com a questão: "quando é que vão arranjar alguém decente para fazer uma das vossas canções?". 'A View To a Kill' foi o único tema da banda sonora bondiana a conseguir chegar ao número 1 da famosa tabela Billboard Hot 100.   
 


Diamonds Are Forever - Shirley Bassey - Os Diamantes São Eternos (1971)

Um dos diamantes da saga de James Bond é... Sean Connery, claro. Outro é a interpretação de Shirley Bassey. O filme de 1971 - realizado por Guy Hamilton - foi o sexto a ter o ator escocês como protagonista, depois da estreia, no longínquo ano de 1962, com a primeiríssima película de Bond, "007 - Agente Secreto". 'Diamonds Are Forever' foi a canção "filha do meio" para Shirley Bassey no que toca a interpretações para o franchise de Bond. A afortunada voz da cantora galesa também brilhou nos temas 'Goldfinger' (1964) e 'Moonraker' (1979). 
 


You Only Live Twice - Nancy Sinatra - Só Se Vive Duas Vezes (1967) 

Antes de qualquer outra pessoa, a canção 'You Only Live Twice' estava destinada à voz de Frank Sinatra, mas, como um bom pai que quer o melhor para os filhos, Sinatra acabou por entregá-la à interpretação da sua filha, Nancy Sinatra. O clássico, que tem poderes para transportar-nos para vários lugares no mundo, Ásia incluída, foi composto por John Barry, um dos compositores de confiança do universo de James Bond. 'You Only Live Twice' teve alguns artistas a recriá-lo mais tarde, como a Bjork ou os Coldplay. No final dos anos noventa, o cantor Robbie Williams "foi buscar" os arranjos da canção para dar brilho ao tema 'Millenium' (1998). A ideia terá sido também a de prestar homenagem ao filme, já que é um dos preferidos do homem de 'Angels'. 
 


Nobody Does it Better - Carly Simon - Agente Irresistível (1977)


A canção, sobre a qual nos focamos agora, passou a linha que delimita o espaço reservado exclusivamente ao maravilhoso mundo de James Bond. Quando começamos a ouvir 'Nobody Does it Better', pela voz doce e aparentemente satisfeita de Carly Simon, ocorre-nos mais do que um enredo bem tecido de espionagem. É quase uma espécie de senha para nos lembramos daquele anúncio publicitário que passou em loop na televisão, alojando-se para sempre nas nossas cabeças. Lembra-se? 'Nobody Does it Better', como quem diz: "és o maior" ou "sabes bem", é a melosa power ballad que serviu o filme "The Spy Who Loved Me", em português, "Agente Irresistível" (tradução muito livre). O tema, que chega a ser "maroto", enaltece as habilitações de Bond para... o amor. Irresistível.
 

 
The Living Daylights - A-Ha - Risco Imediato (1987)

Mais um tema pop dos anos oitenta, o que é bom porque nunca são demais. No final da década, os noruegueses A-Ha assinaram a canção do filme "Risco Imediato" e acabaram por inclui-la no álbum "Stay on These Roads" (1988), o terceiro da discografia que somaram na carreira. Por esta altura, o agente secreto vivia debaixo da pele do ator britânico Timothy Dalton. 'The Living Daylights' foi umas das canções mais tocadas pelo coletivo da Noruega. Por falar em risco imediato, 'The Living Daylights' ganhou uma versão mais pesada feita pela banda de heavy metal sul-africana, The Narrow.
 


Thunderball - Tom Jones - Operação Relâmpago (1965)

'Thunderball' na voz ampla do barítono Tom Jones tem a textura certa para um filme de James Bond. A forma como o cantor galês segura a nota final poderia afastar qualquer inimigo impopular que se metesse no caminho do agente secreto. Fica a dica.
 



Goldfinger - Shirley Bassey - Contra Godfinger (1964)

Fechamos com chave de ouro, ou melhor, com dedo de ouro. 'Goldfinger', de meados dos anos sessenta, costuma andar pelo cimo dos tops das melhores canções que marcaram a vasta filmografia de James Bond. A voz volta a ser a da conceituada Shirley Bassey e o histórico Sean Connery volta a ser Bond. O clássico dourado garantiu lugar no privilegiado Grammy Hall of Fame e é um dos mais icónicos da saga.